"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

9 de jul de 2011

ZIPPER EXPOSIÇÕES ABERTURA 09 DE JULHO




ZIPPER GALERIA TEM ABERTURA EXPOSIÇÕES DIA 09 DE JULHO AS 12 HS - 19 HS
Rua Estados Unidos, 1494
SP



Cássio Vasconcellos e Marcelo Brodsky
De 09 de Julho a 30 de Julho 2011



O projeto Correspondencias Visuales foi iniciado pelo argentino Marcelo Brodsky ao enviar uma foto para, entre outros artistas, Cássio Vasconcellos.
A pergunta inicial, condutora do projeto é: o que ocorre quando uma imagem é enviada a alguém, que responde com uma nova imagem? A mostra aproxima os universos culturais e criativos de cada artista.
Serão apresentadas 34 fotografias extraídas de sete trechos desse diálogo visual. A conversa é formada partindo de alguma característica formal da fotografia inicial – um quadrado, por exemplo, que é reinterpretado como uma janela na foto seguinte – ou de alguma ligação conceitual entre as imagens. A janela pode receber como réplica a foto de uma janela de avião, mudando o tom da conversa para fotos aéreas. Dessa maneira são construídas conexões entre formas e/ou conceitos.
A mostra concede à fotografia um novo espaço para a reflexão artística. Num momento em que as novas tecnologias, o imediatismo e o visual condicionam a comunicação, Correspondências Visuais não apenas abre o jogo a um diálogo entre artistas – no qual se movem em uma linha temporal de imagens com semelhanças dialéticas –, mas instaura uma nova dimensão da fotografia como linguagem, criando um conjunto autônomo de sentido. Um sentido que é resultado da confrontação, da provocação visual de dois pontos de vista que, em sua união, formam uma nova obra.
Folder da Exposição - Texto crítico por Paula Braga





ESPAÇO ZIP'UP DA ZIPPER - 'AÉREOS' FABIO FLACKS
De 09 de Julho a 30 de Julho 2011


A Zipper Galeria apresenta, no espaço Zip’Up, a exposição Aéreos de Fabio Flaks. A mostra, com curadoria de Mario Gioia, apresenta oito trabalhos recentes entre desenhos, pinturas e gravuras. As pinturas de Fabio Flaks apresentadas na mostra nos levam a rampas de skate, estranhamente vazias num dia de clima favorável a atividades ao ar livre. Segundo o curador Mario Gioia, a obra de Flaks “tem no vazio e na crise da representação dois de seus vetores principais, além de eleger o cotidiano como um dos seus nortes”.
Sobre estas telas é interessante notar, também, “os diálogos com edificações moderno-brutalistas [...]. O céu azulado, com nuvens de desenhos sedutores, cria uma quebra na simetria da construção empreendida pelo homem, gerando uma interessante fricção entre o rebuscado e o racional”, completa Gioia.
Em contraponto às pinturas, o artista apresenta três desenhos de amplificadores e de um bumbo de bateria. Neles é possível notar o obsessivo labor manual do artista, que preenche a lápis a superfície do papel – as áreas vazias e em branco terminam por evidenciar mais fortemente o quanto de labuta foi empenhado na peça – além de evocar à força do consumo (reconhecimento da marca) versus esvaziamento da palavra, explica o curador.
O artista apresenta ainda a obra Quicktimes, gravura em metal que pretende tornar singular uma imagem das mais triviais dentro da cultura do computador.
Fabio Flaks (São Paulo, 1977) foi convidado a participar de mostras como Realidades: Desenho Contemporâneo Brasileiro (SESC Pinheiros. São Paulo, 2011), Múltiplos397 (Ateliê 397, São Paulo, 2010) e Ocupação (Paço das Artes, São Paulo, 2005), além de ter mostras individuais em instituições como o Centro Universitário Mariantonia (Rente, 2010), Centro Cultural São Paulo (2003) e Museu de Arte de Ribeirão Preto (2003)






fOTOS: @ZIPPER GALERIA - SP

Nenhum comentário: