"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

27 de abr de 2011

pensamentos do coração





por estar cego cego
não houve ato, nem nó
não houve tempo blue
no fogo no copo
você me conhece, mas desconhece
se não saberia
o sentido da delicadeza, da força
visível na pele, possibilidade
do impossível, ai
penso que farei amor com todos
todos os homens, fracos ou não
sentindo o vigor do amor laço
o sangue latente, quente
cio em todas as ondas
fremer, rir, rir e rir
riríamos juntos,
no entanto, rio de você
você me conhece, desconhece
são pensamentos do coração
do amor ao ódio, indignação
do que não fiz, não faço
você não sabe
mas faço, sou capaz
no sublime do cansaço
desconhece em mim
a barbaridade, que sou bárbara
disseram-me algumas vezes
fecho com a minha impotência, a tua
pensamentos em meu coração
com meu forte laço
e o vazio blue
de teu laço




cintia thome




"Se tens um coração de ferro, bom proveito.
O meu, fizeram-no de carne,
e sangra todo dia.”

José Saramago









.............

Nenhum comentário: