"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

3 de abr de 2011


"...Eu aconteço
No silêncio que ensurdece tuas veias
No teu hálito de ervas daninhas das dores de teu mundo
Na maresia que molha teu ser arenoso
No céu turmalina que declamas paixões efêmeras
No derrame líquido do masturbar das palavras vãs
Eu aconteço."

Cintia Thomé




















...........

Nenhum comentário: