"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

24 de fev de 2011

Fios


Fios

Romper as linhas do destino
arrebentar colares como o mar
poderia ter vindo buscar-me
catando pérola nas conchas
Entre os fios de ouro
Dos clarões que borbulham
ao sol que derrete
A mim
Eu me arrebento,
esgoto-me nos limites
do universo
na areia sozinha


por que sua mão
é tão improvável?


Cintia Thomé






















............
@Foto @Cíntia Thome - ' Cinzas fev2001guaecá

Nenhum comentário: