"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

26 de jul de 2010

ROSA LUA


ROSA LUA (PINK MOON)


Não consigo me libertar
Da palavra em minhas mãos
Guardo no bolso porque não?
E vou correndo
Procuro você
Ando por todo espaço
Vou ao traço da terra
A frágil flor, sua dor
As nuvens fazem o chorar
do circo ao palhaço
A atriz ao seu triz

Um copo a tilintar
o gelo aqui
Ao todo som
do seu filme outra vez
Com todo tom
Pra te reconhecer
Ao toque de recolher
Da rosa lua
Na boca do rio
Esse beijo de rua
toda nua
toda cheia lua
luar de vida
na partida, perdida
uma ida crua fria...




Cíntia Thomé



2007




Imagem: @ Cíntia Thomé - Flickr
a Nick Drake.

Nenhum comentário: