"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

26 de mai de 2010

PARTILHA




PARTILHA

Não há partilha numa trilha de ser só
Não abocanhe as pérolas das conchas
Serão dentes cuspidos
Nos colares das segundas bocas
Sorrisos escondidos nas gargantas
Das putas que deixam sabor agridoce
De não ser nada apenas bolso vazio
Quedado nu, fálico sem poder
As aparências não brilharão
A verdade é a negritude de seu lado obscuro
Não rias, pois os cacos dos sinos também tilintam
hora da prova, no juízo final
Não grite, a escolha foi perfeita
Não há retorno, levarás o oculto
E as dançantes estreladas seguirão
E a alma terá seu destino
Os espíritos aceitarão
Tua carne nua,
ainda quente e viva

CINTIA THOME









Imagem : @Cíntia Thomé - Serie 'Rita' (Rita de Cáscia) Direitos Registrados

Nenhum comentário: