"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

25 de mar de 2010

UMA FOLHA. SÓ UMA


Renasça todos os dias
Caule tão verde
Sustente-se vivo
Pairo o olhar a ti
Em meu pensamento
Viva sempre
Espero todos os dias
Uma folha só, uma só
Um só nascer
Como uma mão
Estendendo pra mim
A sustentação
E a vontade
de subir, subir
ir aos céus
aos céus
E não voltar...
A ser triste.



Cíntia Thomé












Imagem:google.

Nenhum comentário: