"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

17 de mar de 2010

CARNUDAS DESNUDAS VERMELHAS




CARNUDAS DESNUDAS VERMELHAS


Sou louca por um beijo teu
Você é meu homem
Esse sonho teu, que seja sempre eu
Sem pudor mulher
Pintar teus lábios
Com os meus... morder
Boca carnuda
Vermelha, vermelha
Não arrancarás pedaço meu
Mas quem sabe
A tua eu...
A tua própria língua
Vai...vai coração doer, doer
Essa boca desnuda de mel
Fala pra mim se gostas
Você é meu homem
Que só eu, só eu...
Abelha Rainha
Sabe te calar... beijar
Fala pra mim
Antes que eu te manche
Com meu sangue, meu amor
E você não poderá falar
Falar... falar...
Essa boca desnuda
Carnuda
Vermelha
Louca vai te pintar





Cíntia Thomé







Imagem: Google - divulgação

Nenhum comentário: