"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

24 de jan de 2010

EM SAO PAULO FIM DE JANEIRO/2010 - ARTE

ODILLA MESTRINER
26/01 ABERTURA EXPOSIÇÃO



Exposição "A Obra e o Destino" de Odilla Mestriner com curadoria de Jacob Klintowitz

Espaço Cultural Citi de São Paulo
Av. Paulista, 1.111 –São Paulo

26/01 – AS 19 HORAS COQUETEL E APRESENTAÇÃO
Exposição de 26/01 a 26 /02/2010

ODILLA MESTRINER, artista plástica natural de Ribeirão Preto, 1928-2009. Artista plástica, pintora e gravurista da maior importancia no meio da arte contemporanea brasileira e internacional. Desde a infancia desenhava e pintava, estudou, entre 1955 e 1956, na Escola Municipal de Belas Artes de Ribeirão Preto, no Bosque, onde foi aluna de Domenico Lazzarini. Posteriormente estudou na Escola de Artes Plásticas de Ribeirão Preto, fundada por, entre outros, o pintor italiano Bassano Vaccarini. O que diferenciava as duas escolas é que esta última era voltada para a arte moderna, estilo que marcou muita a cidade ainda acadêmica. É nessa época que ira montar seu ateliê e apresentar seus trabalhos na Exposição do Centenário de Ribeirão Preto, em 1956. Participa da V Bienal de São Paulo, que nesta época ainda era dividida em sessões: pintura, desenho, gravura, etc., que tinha uma parte histórica e didática com salas especiais de grandes artistas.
As principais características de sua produção definem-se desde seu início de carreira:: o interesse pelo desenho, com suas linhas e texturas, o uso da simetria, a pesquisa nas diversas fases produzidas e a temática urbana. Sua primeira individual aconteceu na Picolla Galeria do Instituto Italiano de Cultura, no Rio de Janeiro, em 1959.
A artista empregava várias técnicas, como pintura em acrílica, desenho, aquarela e xilogravura. Ao longo de sua trajetória artística, Mestriner permaneceu vinculada a Ribeirão. Recebeu, entre outros, o Prêmio Melhor Desenhista pela Associação Paulista dos Críticos de Arte - APCA, em 1973, participa de todas as edições da Bienal Internacional de São Paulo, entre 1959 e 1969, recebendo nesse ano o Prêmio Aquisição Itamaraty. Em 1987, é publicado livro “Odilla Mestriner”, de Jacob Klintowitz sobre sua produção, pela Editora Raízes. São realizadas as retrospectivas Odilla: Releitura gráfica 1958/1978, no MAC-USP em 1983; a Retrospectiva no Museu de Arte de Ribeirão Preto "Pedro Manuel Gismondi" juntamente com a publicação do catálogo Odilla Mestriner e a Arte em Ribeirão Preto, com texto do historiador da arte Tadeu Chiarelli, em 1994.
E em 2007 “ 50 Anos de Produção – Odilla Mestriner ”, em Ribeirão Preto,SP.
Imperdível.




Odilla Mestriner trabalhando em seu Atelier...Grande Saudade


Momento inesquecível, após 12 anos, reencontro com Paulo Ribeiro. Alegria!



_______________________________________________________




ANDRÉ GARDENBERG EM SAMPA
DIAS 26/01 e 30/31/01


FOTOGRAFO MINISTRANDO WORKSHOP DE ILUMINAÇÃO CONTÍNUA 30/31 DE JANEIRO E PROFERINDO PALESTRA NO CAMPUS PARTY DIA 26/01







André Gardenberg, fotógrafo profissional estará, em São Paulo, proferindo palestra, no Campus Party, “Retratos - técnica, iluminação e uma experiência profissional”, 26 de janeiro de 2010, das 12 as 13 horas. O fotógrafo André Gardenberg apresentará técnicas para fazer retratos profissionais e contará como foi desenvolvido o projeto ‘Arquitetura do Tempo’, em que fotografou personalidades brasileiras para mostrar as marcas de expressão da idade, que virou livro e exposição.
Estará também administrando um Workshop de Iluminação Contínua (Retrato) para 15 alunos, fotógrafos profissionais e leigos em fotografia, dias 30 e 31 de janeiro, conforme Agenda.


André Gardenberg formou-se em jornalismo no Rio de Janeiro e começou a trabalhar com fotografia, especialmente imagens em movimento. Tendo passado pela fotojornalismo esportiva e cultural. Trabalha hoje com fotografias com foco na dança, teatro, cinema e música. O fotógrafo apresentou sua primeira exposição em 2001, de uma 'trilogia’, chamada "Arquitetura do Tempo", As fotografias buscam a face verdadeira, e cada rosto é testemunha dos fatos que tornaram essas personalidades conhecidas. Assim, ao fotografar gente como Malu Mader, Fernanda Torres, Fernanda Montenegro, Chico Buarque, Dorival Caymmi, Nelson Motta, Fernanda Young, Maria Bethania, Ferreira Gullar, Zuenir Ventura entre muitos outros.
Gardenberg retrata muito mais que personalidades da vida cultural brasileira: fotografa histórias, as marcas do tempo e os rastros do talento.
E a segunda, "Arquitetura do Medo" dá continuidade a sua investigação sobre temas que envolvem a existência humana no mundo contemporâneo, as fotos revelam ainda modelos diferentes de grades e formas de aprisionamento, traçando um painel de como o homem está atuando diante dessa violência. Ainda em 2010 será apresentada a terceira com "‘situações-limite".
André Gardenberg é um dos fotógrafos mais conceituados no Rio de Janeiro e em todo Brasil, já teve obras expostas: Centro Cultural Correios do Rio de Janeiro, Espaço Cultural Itaú ( Ocupação Zé Celso), MAM-BA e também no Museu da Imagem e do Som de São Paulo.
Além de fotografias em revistas, cartazes, cinema e sites, André tem um livro publicado "Arquitetura do Tempo” com 48 retratos de diversas personalidades, privilegiando o que há de verdadeiro e vivo em cada fisionomia, pela Editora Cosac&Naify.
André administra palestras para profissionais e leigos em fotografia em todo o Brasil, veja no link: Workshops

Para saber mais sobre ele, seu trabalho e seus cursos:

www.flickr.com/photos/angar
www.andregardenberg.com.br


Foto André Gardenberg - para Foto em Vídeo
Cíntia Thomé



Grande Sucesso.

.

Nenhum comentário: