"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

20 de nov de 2009

BEIJO EM SEU OMBRO




BEIJO EM SEU OMBRO (Cíntia Thomé)

Haverão sempre gérberas felizes
Como beijo em seu ombro
carregando todos os dias
minutos e aqueles anos
éramos férteis faces do amanhã
que foram levadas pelo destino
das jovens peles em desatino
de folhas verdes e teu amor
por mim...por você, Amor
Haverão adormecidos cheiros
quando éramos querencias
Florescencias
Em sua boca quando calada
Na sua mente
um beijo meu em sua testa
felizes perfumados sentidos
da nossa Vida...



Cíntia Thomé





****** Um poemeto-prosa, lamento, para quem sabe e quem viu e sentiu um dia roubando-me minutos, dias, talvez mais que um ano nas florescencias da vida e deixamos perfumes adormecerem pra sempre...******







Imagem: autoria Cíntia Thomé












.

Nenhum comentário: