"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

16 de set de 2009

TEXTURA ROSA FLOR


André Gardenberg





TEXTURA ROSA FLOR
(em foto de André Gardenberg)







Na textura do amor
Taça em flor
Beba do seio a essência
Nas vestes que te acompanhou

Cálice cálido perfume
A pureza em Cânticos
De amor do que ficou
No olhar duas folhas

No lume das pétalas
Sentem eterna dor
Morda os lábios
De saudade

Não há mal nenhum
Lamber o talo
Sem espinho por quem
Chorou







Cintia Thomé


________________________________________________________________________

Este Poema foi escolhido para a Série de Fotos "Texturas do Amor" - Palmeiras Imperiais do Jardim Botânico,
do Fotógrafo :

André Gardenberg
E também Cronicas do Rio de Janeiro

POEMA QUE FAZ PARTE DO LIVRO
OLHOS DE FOLHA MINHA DE CÍNTIA THOME -2008

Nenhum comentário: