"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

10 de out de 2007

MAR QUERIDO AMAR


MAR QUERIDO AMAR

Querido Mar
Não tive e não tenho mais
coragem de postar-me diante Dele !
Peço a você, meu Mar
que estive aqui
a jogar em tuas águas límpidas
Uma vida certa ou errante?
Todo o Amor
Perfume de mim
Do avesso de minha pele
Lanço agora o que carreguei,
Leve longe!
Longe para nunca mais voltar
Longe para nunca mais voltar
Todo o Amor
Meu amor, meu amor
Perfume de mim
Meu querido mar...
Leve longe!
Longe para nunca mais voltar
Longe para nunca mais voltar
Aceite, pois não tenho forças.
Mais forças de suportar...
A essência que me faltou...
de carregar até mesmo
o Amor-próprio...
Leve de mim...para longe...


Cintia Thomé


.

Nenhum comentário: