"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

6 de jan de 2016

GRITANDO



Gritando

Eu sou o centro
mas invisível a olho nu
mas em volta de mim mil homens
todos me cercam,me sufocam
prefiro o frio entre duas rochas
o mar vem e corre a banhar-me
assim lá tem
a vida e o tempo
eu e a água que vai e volta
muitas vezes tento me ressaltar
ou exaltar gritando por dentro
desbrochando como uma lagarta
quero voar longe ao vento
para olhos de inveja olharem-me
entre as flores
mas o impulso é tamanho
que o sal se desintegra de meu corpo
tenho cores que ninguem vê
algumas, daquelas das dores
algumas outras
estao nos homens tao iguais
cascalhos na dura rocha imensa
o mundo
e que nao querem voar
eu estou no centro
da vida e do tempo



@Cintiathome



Nenhum comentário: