"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

25 de mai de 2012

NAQUELE QUALQUER DIA


ganhei da covardia
foi naquele
qualquer dia
não senti e nem ouvia
eram duas vias
me amavas e não podia
pensavas que não
mas havia gritaria
o mal te comia
eu nem entendia
tudo passa, passaria...

pensei que acabaria
mas o dragão do tempo
urgia, urgia
você não morria
e esse amor embora
não ia




Cíntia Thomé






foto:A.Hernandez - Portugal - Lisboa






































,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,

Nenhum comentário: