"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

21 de mai de 2012

VERDADE


VERDADE

Vontade.
Atravesso
a rua, a cidade...
o mundo.
Fecho a casa.
Encosto meu corpo
à porta à parede
Vem a vontade...
No espelho:
a verdade.
Procuro a metade de mim...
A liberdade
do ontem meu,
A fiel imagem
Do teu olhar
na minha paisagem...
Do teu corpo
junto ao meu.
A verdade.
No deserto, apenas miragem...
Miragem...
No retrato
só estou eu.
Estou só
E eu.



1999/2000

CINTIA THOMÉ

Nenhum comentário: