"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

2 de out de 2011

DÊ CHANCE A VIDA ARDER





As horas não esperam decisões e acertos, elas escoam a frente do estático corpo que nada faz num estado de torpor solitário. Decidir, avançar, agir, falar, ir a trás, concluir seus sonhos, entrar na profunda verdade e viver enquanto se é inteiro, quando ainda se pensa, se fala, se olha, os braços podem abraçar, a boca pode te cobrir num beijo....ah...vamos viver, afinal as horas escoam como um olhar fixo ao rio que as águas vão, se defende das pedras, dos detritos, com força, a procura de seu mar...liberdade no pouco de sal que resta a ser abraçado da vida....vamos ao mar e o acordar dos sonhos e entrar no profundo amor verdadeiro...banhar-se, salgar-se. A última alegria que pode arder...















...

Nenhum comentário: