"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

15 de set de 2011

CONTEMPLAÇÃO




um refúgio
um mundo de asfalto
um meio fio
a sarjeta da contemplação
pedra, areia e água
parados
me deixam ficar
o céu sobre a cabeça
sol ou chuvisco
podem tocar-me
meus ombros dizem
"ninguém tem nada
com isso..."

cintia thome


09.2011









foto: @cintiathome - guaecá-s.sebastião,sp

Nenhum comentário: