"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

11 de jun de 2011


Imagem: Luis Lobo Henriques-Olhares



Na palavra bendita, desdita
Gorjeia pássaro
Canta, dá risos alados
Talvez choro, sem coro, decoro
Flor dos ventos
Carmim junkie
Asas quentes
Sem querências
Mas bem-me-quer
Rodopia, dança
Nos pavios queimados
Quimera caravela
Desaparecida
No lume
Da Lembrança
Ainda que
Bendita
Vive



Cíntia Thomé



o que não pode ser, mas foi e ainda será,
pois é pira acesa e estará em toda ilha,
promontório, todo o território, entrada e saída,
domínio, pois é perpétua, é leite, é estátua
com veios seculares de sua própria história,
verterá sangue sempre invisível, crível...
pois fica...ficará nos templos
e tempos do riso e da lágrima

"Divórcios Tantos"







........

Nenhum comentário: