"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

3 de nov de 2010

LOUCA PALAVRA LOUCA




SOZINHA
A PALAVRA INEXISTE

APENAS A LAVRA
DO PENSAMENTO ACEITO
BASTA!

QUANDO SOMOS DOIS
A PALAVRA EXISTE
NO TOQUE DO PEITO
CEM OU SEM PALAVRAS

TODAS AS PALAVRAS
NÃO BASTAM!

NA AUSÊNCIA
UMA PALAVRA É O ABRIR
DO SENTIMENTO

A SAUDADE NO LEITO
A PALAVRA BASTA!

NO ADEUS
A PALAVRA NÃO ROMPE
NÃO DECLARA INTEIRA
O MOMENTO
A MEIA PALAVRA
BASTA!



Cíntia Thomé











*Direitos Autorais Registrados
Imagem:Foto@Cíntia Thomé

Nenhum comentário: