"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

13 de set de 2010

dia ou noite de meu bem






somos nublados
por nós mesmos
pois o tempo pensa
que leva brilho, a luz

o neon que agitava
a principiante vida
e ficávamos com a noite
que era interminável dia
a noite de meu bem

seguimos com a pele ferida
resvalada pela moldura
estáticos na imagem
entrecortada margem
inda branca aureolada
estamos em sépias do tempo
temos o terceiro olho, olhar
a verde folha

a escuridão existe
porque dela se espera luz
Vem o gosto do rubi
Do coração
e a constatação
Sempre se ama o belo
o que foi, o que é
iluminado




Cíntia Thomé












Imagem: OlhosdeFolhaMinha de NãoSouEuéaOutra

Nenhum comentário: