"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

20 de jul de 2010

MINHA ARTE, MINHA PINTURA


Mudaram as estações e nada mudou
Mas eu sei que alguma coisa aconteceu Está tudo assim tão diferente
Se lembra quando a gente chegou um dia a acreditar
que tudo era pra sempre
Sem saber ,que o pra sempre, sempre acaba!
Mas nada vai conseguir mudar o que ficou
Renato Russo - (Por Enquanto)







MINHA ARTE, MINHA PINTURA

Minha arte, minha pintura
Minha prima obra
Cores da vida
Tela viva
Travessura e ternura
Pinceladas frescas às mãos

Vermelho rosto rubro
Vermelho corado coração
Boca serena
Sorriso alvo,
Tela viva
Olhar maroto para mim

Minha arte, minha pintura
A cada dia uma cor para mim
Infinitos matizes
Tela viva
Criei o Amor escarlate
Água forte
Traços meus em marfim

Pássaro alado
Vestes em fios azul-prata
A criação no azul dos céus
Beijei-te
Amei-te tanto, tanto

Em azul noite
Adormeceste...
Sem olhar para mim
Em verdes campos
Águas celestes passadas
Linha perdida minha
Traçado destino
Borrado grito meu

Minha arte, minha pintura
Em sépias tristes
Olhos fechados
Pássaro ferido
Em infinito branco
Minha arte, minha pintura
Alada obra inacabada
Minha...



Cíntia Thomé

jul/1999



....


21/07..





Mudaram as estações e nada mudou
Mas eu sei que alguma coisa aconteceu Está tudo assim tão diferente
Se lembra quando a gente chegou um dia a acreditar
que tudo era pra sempre
Sem saber ,que o pra sempre, sempre acaba!
Mas nada vai conseguir mudar o que ficou

Renato Russo - Por Enquanto
)






Imagem: @direitos autorais Cíntia Thomé

Nenhum comentário: