"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

1 de mar de 2010

DELICADA




Um vento entre flores
Botões em valsa
Queria ser flor
não só na multidão
nos jardins desse país
exalando perfumes
dançando delicada
uma saia
em seu coração
Sobre o verde que nasci
uma raiz, gérbera feliz
Ser o que sempre quis
estrela dourada
Apenas sua
uma
brasileirinha

Cíntia Thomé










Imagem: Kais Ismail - POA
.

Nenhum comentário: