"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

5 de fev de 2010

REDESCUBRA


Redescubra o teu lugar
Andarilho perdido
Olhar exausto em mim
Coma as cerejas que ainda são vermelhas
O sangue escorrerá da tua boca
Lambidas ainda frescas
Nas noites e manhãs
Onde a carne precisa, necessita
Das peles em flor, todos os lábios
Redescubra teu lugar
Nas grutas, entre as pernas
Nos sons que te torturam
Acordado fica a chorar
Por teu sonho, sono,sonâmbulo
Desvaira, enlouqueça
Mas não sem abraços
O laço das querências
Das verdadeiras veias
De teu caminho
Com amor
Como homem



Cíntia Thomé




@Direitos Autorais

Imagem de Cíntia Thomé

Nenhum comentário: