"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

2 de dez de 2009

LIMITAÇÃO



LIMITAÇÃO(Cíntia Thomé)


Cheio de dedos
Não há verdadeira mão
Nem fortes braços
Decepe todos os dedos
Da alma
Tantos passados, tantos medos
Tantos anéis que limitam
Que fazem a tua ambigüidade
Segredo e mistério
Colherá abraços
O tanto que te falta



Cíntia Thomé









Imagem: Autoria: A. Hernandez - site Olhares(Cíntia Thomé)

Nenhum comentário: