"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

28 de out de 2009

VINTE CINCO ANOS






VINTE CINCO ANOS


Girassóis pra você
Assim entrego meus pescoços
Que giram a procura de você
Esse sol que me acompanha
eu o acompanho
Sem ver entre os raios
O anjo que me ama...
Minhas folhas, meus braços
Ficam minguando flácidos
Bobos sempre se erguem
Faço juras de amor
Sem ninguém ver, saber
Conseguir olhar
E te dou,
nos damos 'parabéns'

Juro que te verei outra vez
Como você Anjo meu
de asas que partiram
Que me vê tão sozinha
Cabisbaixa nesses campos
Na escuridão das almas
Esperando o novo dia
Há anos

Certo dia talvez
Quando o sol abrir suas portas
Estarei lá!
A entregar todas as pétalas lacrimejadas
Na florescência
das estações
Vinte cinco anos
E o sol girará alegria
Sem minha dor tamanha
A esse certo encontro
De flores
Eu e você
Semente de mim

Vinte cincos anos
Brotaste de mim
Que jovem se perdeu
E neste enfadonho chão
Perdi-me desde então
A me procurar
A te procurar
A te procurar


Cintia Thomé



25 anos, a meu filho primogênito Rudy, a saudade de seus passeios de bike trazendo girassóis da pracinha pra mim...saudade...e seu aniversário.




Nossa Santinha...









imagem: google - a.d.

Nenhum comentário: