"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

18 de ago de 2007

Cenário




Cenário
Limpo a casa

Esfrego a alma
Angústias na gaveta
Borboletas papers na parede
Alfazema no teto
Cama de cheiros
Malabares de pétalas
Palco aberto
Na espera
Blues no ar
Cabelos espana-dor
Cartola mágica
Negro espartilho
Cara pintada
Fogo na garganta
Sem manga e cartas
Trapezista não vem
Suja verdade
Borro o olho
Batom na boca
Nariz vermelho
Anuncia saudade
Encerra espetáculo.


Cintia Thomé.


*Direitos Registrados
0981/4121/2007
.

Nenhum comentário: