"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

20 de dez de 2011


Talvez eu estivesse brincando com meu cãozinho ou comendo bolo de milho da Sebastiana ou instalada em cima de uma laranjeira à sombra, ou até conversando com os botões sobre príncipes e princesas e agora me dei conta, depois de muitos anos que não vi a raposa comer as uvas, e nem tentar....pois com certeza nunca fui feita de parábolas e sim de sonhos...verdes



cintia thome






















..........

Nenhum comentário: