"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

9 de out de 2011

MISÉRIA





Não sei o que é miséria, ouço vozes da inteligencia, luta das existências por vida digna, com amor e sol para todos. Nada é tão melhor que o som para sentir a verdade. A voz não mente, o olho declara. Músicas delatam pecado, pois na história sempre há noites escusas, o pardo, ou seja, a mentira...palavras fincadas no papel que nada esclarecem a verdadeira dor humana, mas no entreolhar, quando a boca canta, o homem se despe, fica nu.É riqueza imensa.
@ Cintia Thome










































........

Nenhum comentário: