"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

23 de out de 2011




Eu aconteço
Na boca do azar de tuas palavras
Na tua morte, no teu pecado.
No amor ardente que te cegou,
Eu vivo.
Eu aconteço!








do poema de Cintia Thomé

























foto:vintage

Nenhum comentário: