"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

18 de jun de 2011

Não sai do coração...



ferro, fogo, labaredas
as letras, a palavra, um nome
uma cama quente, elevando-me
um homem queimando
num coração que não quer ir
perdoando, perdoando
um lapso, um momento
com os pássaros
sem poder sair livre
da estória desse caso, acaso
apagar da memória
sequer dizer adeus












cintia thomé
XII




Foto São Paulo...
................

Nenhum comentário: