"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

26 de nov de 2010


No canto
Existe um pouco de palha
Um pouco do perigo
Um pouco de mágoa
Arde sem doer
Dói sem arder

Um fogo
Uma alma de desejo
Um rio, labareda
Que corre na veia
A um lugar que não sei
Não vejo, nem você
Mas sei, existe

Pulsa como eu
Queima como eu
Encontro das águas
Das mágoas
Inflama, flama
Sufoca, cala

Boca do rio
Salga, salga
Beijo mar
Amar, amar
Parar, parar

Ver-te onda
Eu, areia
Te sentir bater
E nós, por que não viver?
Atrito de Amor



cintia thome

rabiscos...








Imagem: @Cíntia Thomé - Flickr