"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

29 de ago de 2010

PROCURA


"EU IA, MAS EU NÃO VINHA"



procuro
nas ruas
Em cada mesa um copo
não dois
em todas as luas
Brindando a pobreza,
a essencia humana nua
madrugadas derramadas
na luz frouxa
todo sangue
de ser só.

cintia thomé






































Foto: A.Hernandez Lisboa,Portugal

Nenhum comentário: