"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

30 de dez de 2009

VISITA INESPERADA AMOR...





VISITA INESPERADA
Cíntia Thomé


Sinto-o novo mas és tão velho
No deserto de minha alma
Não o vejo alguns meses
Já um ano, muitos anos...
Talvez nunca o senti tão perfeito
nas raízes tamanhas
Como chama tamanha
Com calor, com clamor
Como flor
que insiste em sobreviver
No peito que ainda dói
cresce ...cresce !
E ainda sinto
Que és o enfeite
faz-me amar a vida
foi uma visita inesperada
de um passado que não havia lama
mas pura terra e chama,
És flor que ainda me acompanha
semente cíclica
pois o rego com o ontem
como aquela visita que me faltava
inesperada...
Aparição além do meu peito
Outra vez
inesperada...


Cíntia Thomé









felizdez



@Direitos Registrados




Imagem: autoria Cíntia Thomé

Nenhum comentário: