"A profundeza abissal da palavra declamada
ecoa nítida na linguagem abstrata
das mãos (gestos prontos),
e o atrito dos dias confunde as cicatrizes do tempo,
derramado sobre a mesa o poema
ignora nas pálpebras o pesadelo do sonho"

(Júlio Rodrigues Correia)





.

24 de dez de 2009

RESPLANDECER



RESPLANDECER
(Cíntia Thomé)





Transpor a ferro
a fogo
Sem ferir o vão
sem ferida do não
Lanças da vida
Estrelares bem-vindas
Do chão e do alto
Do céu ao asfalto
Refulgir
onde não resisto
- salto



Cíntia Thomé










Imagem: Cíntia Thomé

@Direitos Registrados

Nenhum comentário: